Mais da Julia

maio 22, 2009 by

De volta a fase Jorge Ben, o homem de bem. No set list só da ele, “Toda Colorida”, “Ubabarauma””, “Jimbo”, “Moça Bonit

a”, “Ive Brussel”, “Chove chuva” , “As rosas eram todas amarelas”, “W/Brasil”, “Alcohol”, “Roberto, corta essa”, “Que Maravilha”, “Bebete Vãobora”, tudo consumível, o cara, sem dúvidas. Jorge, me chama para ser sua backing vocal! Alucino. Recuperada do sono e do cansaço bom de dias com pôr-do-sol rosa/alaranjado, vistas incríveis, calor, ladeiras, porto e luar a beira rio. Pântano de beleza gritante. Bota mochila nas costas, óculos escuros, liga o som na sua melhor frequência, pé na estrada que no meio da BR o pantanal já começa a mostrar sua cara.Elza Soares, Melodia, Zeca Baleiro, Paralamas, Maria Rita, os hermanos vizinhos e a galera do som regional mandando bala. Tá quente? A Paceña refresca. Começou a ficar alto? Só subir a ladeira ou sentar nas muretas para descansar. Deixa a poeira subir, anda na praça, se mistura com os nativos, que em meio a tantos rostos anônimos a cidade flui. E mesmo assim , o tempo não passa.Devagar, mas numa levada acelerada. Concrete Jungle na voz de Bob Marley ensurdece os meus ouvidos enquanto as ruas, casarões, árvores, esquinas, bares se exibem diante dos olhos, e são clicadas a cada passo. Cidadizinha mais do que fotografável, é cinematográfica, nítido que a minha vontade de entrar em inúmeros prédios antigos, construções e barcos aumentava a cada rolê. Corumbá instiga ir um pouco mais, de leve, só para ver no que vai dar. Sou apaixonada pelo lugar, isso todo mundo sabe, pela vida pantaneira se encanta fácil. O relógio ainda não marca nem 6 horas e a cortina de cores no céu inicia a abertura. Pega flauta, alfaia, atabaque, caixa, gaita, sax e o que mais estiver por perto para fazer um som. É tão natural, um senta no degrau, chama o outro, chega mais dois que estão por perto e assim a balada inteira se transfere para a frente do rio Paraguai. A música, entidade presente no Bar do Porto, ecoa na água que veio para lavar todas as almas boas que tiveram a sorte de participar do que acontecia. Começando um dia da forma mais linda, o melhor chill out com amigos que se pode ter. Ninguém diz nada, como num espaço preciso de tempo, as palavras se calam e o que importa é sentir: o sol que clareia a cara de quem espreme os olhos na força da luz que invade, depois de uma noitada, e a liberdade que paira. Faça o que quiser, dance, feche os olhos, se envolva … Liga a câmera, dispara a foto, olha com atenção que já ficou tudo guardado. Escutar “Samba e Amor” do Chico, todos os dias é privilégio, como no nosso eterno espreguiçar, tenho muito sono de manhã. Arrepia. Para recarregar as energias, me deixar com um sorriso fácil e aproveitar mais um Festival América do sul. Massa, tudo na melhor maneira. Jukebox: Bam-Bam – Sista Nancy , pedrada de sonzeira seguido por James Brown a noite inteira.

Júlia http://carnavaldesambarusso.blogspot.com/

Tamo na área gurizada

maio 12, 2009 by

Vamos chegando!

Hello world!

maio 12, 2009 by

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!